Informações Sobre a Rodovia

As nossas Rodovias

D. Pedro I (SP-065)

Uma das principais rodovias do Estado, a rodovia D. Pedro I (SP-065) começou a ser planejada no início da década de 60. Sua construção integrava o plano rodoviário estadual, que vislumbrava uma rodovia que permitisse a ligação mais curta entre as rodovias Anhanguera (SP-330) e Dutra (BR-116), sem a necessidade de tráfego pelos municípios da Região Metropolitana de São Paulo.

Apesar de planejada desde 1961, a construção da rodovia foi iniciada somente sete anos depois, em 1968, e concluída quatro anos mais tarde. Inaugurada oficialmente em 1972, foi batizada como D. Pedro I porque naquele ano o país comemorava o sesquicentenário da Independência.

Com 145,5 km de extensão, a D. Pedro I garante a ligação entre o Vale do Paraíba e a Região Metropolitana de Campinas. Seu traçado tem início em Jacareí, na interseção com a rodovia Carvalho Pinto (SP-070); e segue até Campinas, no entroncamento com a Anhanguera.

Depois de concluir a recuperação especial do pavimento de toda extensão da rodovia, a Rota das Bandeiras executa atualmente as obras para construção das marginais da D. Pedro I, no trecho urbano de Campinas, entre o km 129 (trevo da Leroy Merlin) e o km 145+500, no entroncamento com a Anhanguera. O investimento da Concessionária nessa obra é de R$ 183,3 milhões (base Julho/2019).

O trecho entre os km 129 e 143 já foi entregue e reduziu significativamente os pontos de lentidão no local. Atualmente, os operários atuam na implantação da última etapa das marginais, entre os km 143 ao km 145+500, do trevo dos Amarais até o entroncamento com a Anhanguera.

Além das obras nas marginais, a Concessionária trabalha na modernização dos trevos. As principais intervenções executadas pela Rota das Bandeiras na região foram iniciadas em março de 2010 e, desde então, a Concessionária já concluiu a implantação do Trevo da Leroy Merlin, no km 129; a alça de Sousas, no km 125+800; e remodelou a entrada de Barão Geraldo, com a criação de cinco novas alças e a elevação do Tapetão.

Neste momento, a Concessionária executa das obras de remodelação dos trevos Galleria (km 131) e Carrefour (km 133), além da recuperação e alargamento para implantação de acostamento no viaduto do Sam's Club (km 132), passagem inferior da Maria Fumaça e Ponte Anhumas, com previsão de conclusão até dezembro/2019 (liberação do tráfego na rodovia) e março/2020 (sistema viário dos novos trevos).

O planejamento da Rota das Bandeiras prevê ainda a implantação do trevo dos Amarais e a remodelação do trevo de acesso à rodovia Governador Adhemar de Barros (SP-340) - obra já concluída, cuja liberação aos motoristas está condicionada à execução de outras melhorias na região, sob responsabilidade de estabelecimento privado instalado no início da SP-340.
 

Anel Viário José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083)

O anel viário José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083) foi projetado na década de 90 para criar uma nova alternativa de tráfego na região de Campinas, com a retirada do fluxo de passagem do sistema viário municipal.

Inaugurado em 2001, o trecho leste do anel viário contava originalmente com 12 km de extensão, fazendo a ligação entre as rodovias D. Pedro I (SP-065) e Anhanguera (SP-330). A rodovia homenageia José Roberto Magalhães Teixeira, prefeito de Campinas nas décadas de 80 e 90 e morto em 1996.

O atual traçado do anel viário está sendo ampliado. O plano de investimentos da Rota das Bandeiras prevê o seu prolongamento até as proximidades do Aeroporto Internacional de Viracopos, com 9,8 km de extensão.

Os trabalhos foram divididos em duas etapas. A primeira intervenção, com 5,8 km de extensão, contempla o trecho entre as rodovias Anhanguera e dos Bandeirantes (SP-348). A Rota das Bandeiras investiu R$ 183,2 milhões na execução das obras deste trecho, que foram iniciadas em junho/2013 e concluídas em dezembro/2015.

A segunda etapa do projeto prevê a ampliação do Anel Viário em mais 4km, garantindo sua ligação entre a rodovia dos Bandeirantes e as imediações do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas. A intervenção neste trecho foi iniciada em dezembro/2017 e sua conclusão está prevista para 2020. O investimento da Concessionária somente neste trecho será de R$ 91,5 milhões (base Julho/2019)


 

Prof. Zeferino Vaz (SP-332)

 

Inaugurada em 1981, a rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332) tem 81 km de extensão e faz a ligação entre as cidades de Campinas, Paulínia, Cosmópolis, Artur Nogueira, Engenheiro Coelho, Conchal e Mogi Guaçu.

Conta com fluxo intenso de veículos, especialmente pesados, por fazer a ligação no trecho popularmente conhecido por "Tapetão", entre o Centro de Campinas e o distrito de Barão Geraldo, onde está a Unicamp; e também por garantir acesso ao polo petroquímico de Paulínia.

A rodovia homenageia o médico Zeferino Vaz, idealizador e fundador da Unicamp, universidade da qual foi reitor por 12 anos, entre 1966 e 1978.

A homenagem a Zeferino Vaz, no entanto, é recente. Até 2010, a SP-332 era denominada General Milton Tavares de Souza. A mudança da nomenclatura foi autorizada depois da aprovação de projeto de Lei do deputado estadual Milton Flávio (PSDB), que contestava a homenagem a um militar que, supostamente, teria apoiado a ditadura no país, entre 1964 e 1985.

O Trevo de Barão Geraldo foi completamente remodelado e cinco novas alças, além da elevação do Tapetão, acabaram com os conflitos viários existentes na região. O novo trevo foi entregue em outubro/2014 depois de receber investimento total de R$ 8,7 milhões.

Atualmente, a rodovia recebe obras de duplicação no trecho de pista simples entre os municípios de Engenheiro Coelho e Conchal. A primeira etapa da duplicação, no trecho entre os km 176 e 180, em Conchal, foi entregue em março/2019.

 

Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360)

A Rota das Bandeiras é responsável pelo trecho com 15,2 km de extensão da rodovia Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360) que faz a ligação entre os municípios de Itatiba e Jundiaí. Este trecho da rodovia, entre os km 67 e 81, foi totalmente duplicado, atendendo a uma antiga reivindicação da comunidade local.

A Rota das Bandeiras investiu R$ 221,28 milhões nas obras de duplicação da SP-360. A rodovia ganhou novos trevos de acesso e viadutos, trazendo muito mais conforto e segurança aos usuários.

 

Romildo Prado (SP-063)

A ligação da rodovia Romildo Prado (SP-063) com 15,7 km de extensão entre os municípios de Itatiba e Louveira está sob responsabilidade da Rota das Bandeiras desde abril de 2009.

Além do contínuo investimento nas obras de recuperação especial do pavimento - dois ciclos de investimento já foram executados -, a rodovia recebeu obras de duplicação no trecho entre os km 0 e 2+300, do entroncamento com a Anhanguera até o trevo de Louveira. A obra foi concluída em janeiro/2019, com investimento total de R$ 47,7 milhões (base Julho/2018).  Além da duplicação, os trabalhos também contemplaram um novo trevo em desnível no km 0+800, a melhoria do trevo localizado na altura do km 1+800, assim como a implantação de uma passarela no mesmo local.

Outra intervenção concluída foi a implantação de uma faixa adicional entre os km 8+100 e 10 da rodovia para ampliar as condições de segurança e conforto oferecidas aos usuários da rodovia.

Neste momento, a Concessionária executa obras de remodelação do acesso à estrada municipal Monterrey, no trevo do Arataba, na altura do km 7 da rodovia. O investimento é de R$ 8 milhões, com previsão de conclusão até o final do primeiro semestre de 2020.  

 

Topo
  • compartilhe:
  • Compartilhar