CADASTRE-SE

Receba os nossos alertas por email:

Investimentos

Corredor Dom Pedro já recebeu R$ 2 bilhões em investimentos

O contrato de concessão firmado entre a Concessionária Rota das Bandeiras e o Governo do Estado prevê investimentos de R$ 3,5 bilhões em importantes obras de manutenção, recuperação e modernização do Corredor Dom Pedro em um período de 30 anos.

Esses recursos vão beneficiar os 297 km da malha viária concessionada e o objetivo do trabalho é garantir mais segurança, conforto e agilidade nas viagens realizadas pelos usuários do Corredor Dom Pedro.

Deste total, o plano de investimentos da Rota das Bandeiras garantiu recursos no valor de R$ 2 bilhões somente nos oito primeiros anos da concessão, até o final de 2017, para obras relevantes para a região, tais como:


a) Duplicação da rodovia Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360), entre Itatiba e Jundiaí

A duplicação da SP-360 atendeu a uma demanda de 30 anos da comunidade local. O trecho de 15,2 km foi entregue complete remodelado em junho de 2014. O investimento foi de R$ 221,28 milhões, entre o km 67, no Trevo do Caxambu, em Jundiaí, e o km 81, no Trevo de Louveira, em Itatiba. Somando as duas etapas, 15,2 km de pistas foram duplicadas e cinco dispositivos de retorno foram totalmente reformulados (nos km 67, 70, 74+900, 78+500 e 81+200). Do km 77+400 ao km 81 foram feitas pistas marginais, além da duplicação da pista principal. Além disso, duas passarelas, uma no km 67+200 e outra no km 72+050, foram demolidas e totalmente remodeladas, seguindo todas as normas de acessibilidade.

A obra teve como marca a inovação. Uma delas foi o GlasGrid, uma tela de fibra de vidro revestida. De alta resistência, o produto aumenta o tempo de vida do pavimento e reduz a infiltração de água e o custo de manutenção da via.

Outras duas tecnologias europeias foram usadas na obra. Uma delas foi uma técnica norueguesa usada para acelerar a construção de um viaduto no Trevo do Caxambu, no km 67 da rodovia. Chamada de Aterro Ultraleve, a metodologia faz uso de blocos de isopor, chamados de Expanded Polysterene Blocks (EPS), em substituição a um aterro convencional, feito com terra. O material, por ser mais leve, pode ser utilizado sobre terreno de solo mole, presente no trecho. A técnica, inclusive, foi tema de um artigo na conceituada revista Fundações e Obras Geotécnicas.

A outra tecnologia usada na rodovia é de origem portuguesa e serviu para acelerar a construção do túnel de concreto pré-fabricado também no km 67. A solução, trazida ao país pela primeira vez pela Odebrecht, na execução das obras do Rodoanel, possibilitou a conclusão da obra em metade do tempo necessário para a construção de um túnel convencional.


b) Implantação das marginais e modernização dos trevos existentes ao longo da rodovia D. Pedro I (SP-065) na região de Campinas

O projeto completo de construção das marginais prevê cerca de 32 km de pistas que contemplarão toda a área urbana de Campinas, entre o km 129 (trevo da Leroy Merlin) e o km 145+500, no entroncamento com a Anhanguera. O trecho em questão é o que recebe o maior fluxo da rodovia, com cerca de 125 mil veículos por dia. Ali são recorrentes os casos de pontos de lentidão por excesso de fluxo, especialmente nos horários de pico. O investimento da Concessionária é de R$ 175,2 milhões (base Julho/2018).

Os pontos em que já existem marginais serão adaptados aos padrões das novas pistas e interligados. Quando estiver pronta, a marginal integrada terá o papel de diluir o tráfego da pista expressa, servindo de apoio a quem quer transitar entre os bairros, no perímetro urbano. Pelas faixas expressas deverão passar majoritariamente os motoristas que realizam viagens de longo percurso, entre municípios. O trecho entre os km 129 e 143, na pista Norte (sentido Anhanguera) já foi entregue e reduziu significativamente os pontos de lentidão no local. Do lado Sul (sentido Jacareí), as marginais foram entregues do km 129 ao km 131 (Galleria Shopping) e do km 134 (entroncamento com a rodovia Gov Adhemar de Barros) até o km 143. Atualmente, os operários atuam do km 131 ao km 134, nas imediações do Sam's Club, no lado Sul da rodovia.

Além das obras nas marginais, a Concessionária trabalha na modernização dos Trevos. As principais intervenções executadas pela Rota das Bandeiras na região foram iniciadas em março de 2010 e, desde então, a Concessionária já concluiu a implantação do Trevo da Leroy Merlin, no km 129; a alça de Sousas, no km 125+800; e remodelou a entrada de Barão Geraldo, com a criação de cinco novas alças e a elevação do Tapetão. O planejamento da Concessionária prevê ainda a implantação dos trevos dos Amarais, do Carrefour, do Galleria Shopping e do Sam's Club; e a remodelação do trevo de acesso à rodovia Governador Adhemar de Barros (SP-340).

 

c) Prolongamento do anel viário José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083), no trecho entre a rodovia Anhanguera até as proximidades do Aeroporto Internacional de Viracopos

A Rota das Bandeiras investiu R$ 183,2 milhões (base Julho/2015) na primeira etapa das obras de prolongamento da SP-083, que foram executadas em um trecho com 5,8 km de extensão entre as rodovias Anhanguera (SP-330) e Bandeirantes (SP-348) entre junho de 2013 e novembro de 2015.

Uma das principais obras previstas no contrato de concessão do Corredor Dom Pedro, o prolongamento da SP-083 já garante novas opções de acesso ao Corredor Dom Pedro e ao Sistema Anhanguera-Bandeirantes, facilitando os deslocamentos dos moradores de toda a região metropolitana.

A segunda etapa do projeto prevê a ampliação do Anel Viário em mais 4 km, garantindo sua ligação entre a rodovia dos Bandeirantes e as imediações do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas. A intervenção neste trecho foi iniciada em dezembro/2017 e sua conclusão está prevista para 2019. O investimento da Concessionária somente neste trecho será de mais R$ 87,4 milhões (base Julho/2018).

 

d) Construção da Perimetral de Itatiba

A Perimetral de Itatiba garantirá uma ligação para as rodovias Eng. Constâncio Cintra (SP-360) e Romildo Prado (SP-063) com a rodovia D. Pedro I, a partir do trevo de Louveira, e irá contribuir para a retirada do tráfego de veículos pesados da área urbana do município.

A construção da perimetral está orçada em R$ 126,7 milhões (base Julho/2018). As obras foram iniciadas em março/2018 e estão previstas para ser entregues no prazo de 24 meses.

 

 

Topo
  • compartilhe:
  • Compartilhar
Youtube Facebook Twitter