• CADASTRE-SE

    Receba os nossos alertas por email:

    Investimentos

    Corredor Dom Pedro já recebeu R$ 2,8 bilhões em investimentos

    O contrato de concessão firmado entre a Concessionária Rota das Bandeiras e o Governo do Estado prevê investimentos de R$ 3,5 bilhões em importantes obras de manutenção, recuperação e modernização do Corredor Dom Pedro em um período de 30 anos.

    Esses recursos vão beneficiar os 297 km da malha viária concessionada e o objetivo do trabalho é garantir mais segurança, conforto e agilidade nas viagens realizadas pelos usuários do Corredor Dom Pedro.

    Deste total, o plano de investimentos da Rota das Bandeiras garantiu recursos no valor de R$ 2,8 bilhões somente até o final de 2020 para obras relevantes para a região, tais como:


    a) Duplicação da rodovia Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360), entre Itatiba e Jundiaí

    A duplicação da SP-360 atendeu a uma demanda de 30 anos da comunidade local. O trecho de 15,2 km foi entregue complete remodelado em junho de 2014. O investimento foi de R$ 221,28 milhões, entre o km 67, no Trevo do Caxambu, em Jundiaí, e o km 81, no Trevo de Louveira, em Itatiba. Somando as duas etapas, 15,2 km de pistas foram duplicadas e cinco dispositivos de retorno foram totalmente reformulados (nos km 67, 70, 74+900, 78+500 e 81+200). Do km 77+400 ao km 81 foram feitas pistas marginais, além da duplicação da pista principal. Além disso, duas passarelas, uma no km 67+200 e outra no km 72+050, foram demolidas e totalmente remodeladas, seguindo todas as normas de acessibilidade.

    A obra teve como marca a inovação. Uma delas foi o GlasGrid, uma tela de fibra de vidro revestida. De alta resistência, o produto aumenta o tempo de vida do pavimento e reduz a infiltração de água e o custo de manutenção da via.

    Outras duas tecnologias europeias foram usadas na obra. Uma delas foi uma técnica norueguesa usada para acelerar a construção de um viaduto no Trevo do Caxambu, no km 67 da rodovia. Chamada de Aterro Ultraleve, a metodologia faz uso de blocos de isopor, chamados de Expanded Polysterene Blocks (EPS), em substituição a um aterro convencional, feito com terra. O material, por ser mais leve, pode ser utilizado sobre terreno de solo mole, presente no trecho. A técnica, inclusive, foi tema de um artigo na conceituada revista Fundações e Obras Geotécnicas.

    A outra tecnologia usada na rodovia é de origem portuguesa e serviu para acelerar a construção do túnel de concreto pré-fabricado também no km 67. A solução, trazida ao país pela primeira vez pela Odebrecht, na execução das obras do Rodoanel, possibilitou a conclusão da obra em metade do tempo necessário para a construção de um túnel convencional.


    b) Implantação das marginais e modernização dos trevos existentes ao longo da rodovia D. Pedro I (SP-065) na região de Campinas

    O projeto completo de construção das marginais tem 32 km de pistas, contemplando toda a área urbana de Campinas, entre o km 129 (trevo da Leroy Merlin) e o km 145+500, no entroncamento com a Anhanguera, e foi entregue de forma definitiva em dezembro/2020. O trecho em questão é o que recebe o maior fluxo da rodovia, com cerca de 125 mil veículos por dia. O investimento da Concessionária foi de R$ 186,8 milhões (base Julho/2020).

    De acordo com o projeto, os pontos em que já existiam marginais foram adaptados aos padrões das novas pistas e interligados. A marginal integrada tem o papel de diluir o tráfego da pista expressa, servindo de apoio a quem quer transitar entre os bairros, no perímetro urbano. Pelas faixas expressas agora devem trafegar majoritariamente os motoristas que realizam viagens de longo percurso, entre municípios.

    Além da implantação das pistas marginais, a Concessionária trabalhou na modernização dos Trevos. As principais intervenções executadas pela Rota das Bandeiras na região foram iniciadas em março de 2010 e, desde então, foi concluída a implantação do Trevo da Leroy Merlin, no km 129; e da alça de Sousas, no km 125+800. Além disso, a entrada do distrito de Barão Geraldo foi remodelada, com a criação de cinco novas alças e a elevação do trecho conhecido por Tapetão.

    Já em dezembro/2019, a Concessionária concluiu as obras de remodelação dos trevos Galleria (km 131) e Carrefour (km 133), além da recuperação e alargamento para implantação de acostamento no viaduto do Sam's Club (km 132), passagem inferior da Maria Fumaça e Ponte Anhumas. A última etapa concluída neste complexo pacote de intervenções foi a remodelação do Trevo dos Amarais, com dez alças independentes e o fim dos congestionamentos diários no local, entregue em dezembro/2020.

     

    c) Prolongamento do anel viário José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083), no trecho entre a rodovia Anhanguera até as proximidades do Aeroporto Internacional de Viracopos

    A Rota das Bandeiras investiu R$ 183,2 milhões (base Julho/2015) na primeira etapa das obras de prolongamento da SP-083, que foram executadas em um trecho com 5,8 km de extensão entre as rodovias Anhanguera (SP-330) e Bandeirantes (SP-348) entre junho de 2013 e novembro de 2015.

    Uma das principais obras previstas no contrato de concessão do Corredor Dom Pedro, o prolongamento da SP-083 já garante novas opções de acesso ao Corredor Dom Pedro e ao Sistema Anhanguera-Bandeirantes, facilitando os deslocamentos dos moradores de toda a região metropolitana.

    A segunda etapa do projeto prevê a ampliação do Anel Viário em mais 4 km, garantindo sua ligação entre a rodovia dos Bandeirantes e a rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324), conhecida como Vinhedo-Viracopos. A intervenção neste trecho foi iniciada em dezembro/2017 e sua conclusão está prevista para 2021, após emissão de licença ambiental de instalação que permitirá a execução do trecho final das obras, garantindo sua conexão com a SP-324. O investimento da Concessionária somente neste trecho será de mais R$ 100,7 milhões (base Julho/2021).

     

    d) Construção da Perimetral de Itatiba

    A Perimetral de Itatiba garantirá uma ligação para as rodovias Eng. Constâncio Cintra (SP-360) e Romildo Prado (SP-063) com a rodovia D. Pedro I, a partir do trevo de Louveira, e irá contribuir para a retirada do tráfego de veículos pesados da área urbana do município.

    A construção da Perimetral está orçada em R$ 146 milhões (base Julho/2021). A primeira etapa das obras foi iniciada em março/2018 e está concluída. Já em novembro/2019, a Rota das Bandeiras iniciou a segunda etapa dos trabalhos, que contempla um trecho com cerca de 6 km de extensão, do trevo de Louveira, no entroncamento com as rodovias Eng. Constâncio Cintra e Romildo Prado, até as imediações do km 23 da rodovia Luciano Consoline (SP-063). 

    No momento, as equipes a serviço da Concessionária executam trabalhos de terraplenagem, drenagem superficial, pavimentação das novas pistas, encaixe das novas pistas com as obras de arte construídas, além da construção da base do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) e de duas balanças móveis, uma em cada sentido da rodovia. A Rota das Bandeiras prevê que a segunda etapa das obras da Perimetral de Itatiba será concluída no primeiro semestre de 2022. Já a terceira e última etapa das obras tem cerca de 1,5km de extensão e se encontra em fase de licenciamento ambiental.

     

    Topo
    • compartilhe:
    • Compartilhar