Nazaré Paulista

> Eventos da Cidade
> veja todos os eventos

Nazaré Paulista

Com pouco mais de 16 mil habitantes, Nazaré Paulista tinha tudo para ser uma pacata cidade do interior paulista. Mas o cenário de calmaria, que até se faz presente de segunda a sexta-feira, transforma-se aos finais de semana, quando os amantes dos esportes radicais tomam conta da cidade.

Graças a Represa Atibainha, popularmente conhecida por "Represa de Nazaré", a cidade se transformou em um reduto dos amantes de esportes aquáticos, como wakeboard e jet ski.

Junto com os esportes radicais, surgiram agradáveis marinas, restaurantes e bares, que oferecem ao turista um bom programa à beira da represa e de sua bela paisagem.

Atrações turísticas

Represa Atibainha

São 25 km² de terras alagadas propositalmente pelo homem que formam a privilegiada represa do Rio Atibainha, integrante do Sistema Cantareira, que abastece toda a Região Metropolitana de São Paulo.

A área conta com marinas bem estruturadas que abrigam os veículos náuticos, como lanchas e jet skis, mas também recebem famílias que tiram o dia para curtir o lazer, natureza e a estrutura das marinas, que disponibilizam áreas para churrasco e esportes.

Igreja Matriz

Construída, segundo historiadores, em 1676, a Igreja Matriz Nossa Senhora de Nazaré serve tanto aos religiosos como àqueles que curtem história. A igreja, ainda como capela, foi a primeira construção daquela região, erguida pelo fundador da cidade, Matias Lopes.

Curiosidade: A matriz foi erguida nos estilos arcaico e barroco, com imagens originárias de Portugal. Segundo historiadores, a imagem original de Nossa Senhora de Nazaré foi "raptada" pelo irmão de Matias Lopes e levada à sua capela, a alguns quilômetros dali. No entanto, o fundador a buscou de volta, ignorando a versão do irmão de que ela teria, por milagre, se deslocado sozinha.

Construções de fazendas

As construções antigas das fazendas locais são uma boa viagem ao passado. A Casa de Francisco Derosa, por exemplo, é datada do início do século XX. Prefeito à época, ele é fundador da escola mais antiga do município, localizada no bairro Marmeleiro.

Há também a Casa dos Escravos, construção do século XVII que mantém sua estrutura e parte do mobiliário da época. Fica no bairro Cuiabá e, como o nome diz, foi moradia de dezenas de escravos que trabalharam nas fazendas daquela região.

Principal acesso

A principal estrada de acesso a Nazaré Paulista é:

Rodovia Dom Pedro I (SP-065)
Na pista norte (sentido Campinas): km 52
Na pista sul (sentido Jacareí): km 52

Histórico: Uma cidade com vocação para os esportes radicais

De origem religiosa, mas com vocação para esportes radicais, o pequeno município de Nazaré Paulista nasceu da "costela" de Atibaia, mas prosperou em torno da represa Atibainha e da rodovia D. Pedro I, que até hoje são consideradas as alavancas para o crescimento da cidade, que na década de 70 tinha pouco mais de 2 mil habitantes.

A história conta que a semente do município foi plantada no século XVII pelo bandeirante Matias Lopes, considerado até hoje seu fundador. Religioso, ele teria erguido uma igreja independente da organização diocesana da época e a batizado como capela Nossa Senhora de Nazaré. Algumas famílias se instalaram ao seu redor.

Em 1850, Nazaré Paulista foi elevada ao patamar de vila, deixando definitivamente de pertencer ao município de Atibaia. A emancipação completa deu-se em 1906, depois de receber terras de Guarulhos.

Na década de 70, Nazaré Paulista se sustentava com suas atividades rurais, basicamente da extração de lenha e carvão, tendo ficado alheia à evolução que a região da Grande São Paulo experimentava naquela época.

Foi então que dois fatos se apresentaram para dar perspectivas ao município: a criação da Represa Atibainha, que ajuda a abastecer a rede de água de toda a Grande São Paulo; e a rodovia D. Pedro I, que interligaria interior e Capital, além de servir de caminho para o Rio de Janeiro.

A represa trouxe mão-de-obra para sua construção. Pessoas que mais tarde se instalariam ali pela qualidade de vida encontrada. Já a estrada serviu de caminho imediato para o escoamento das produções agrícolas, ampliando a capacidade econômica do município. Era o fim do isolamento.

De importante degrau de evolução, a represa de Nazaré, como ficou conhecida, hoje é procurada por amantes dos esportes aquáticos, como wakeboard e jet ski, ou simplesmente por quem pretende passar um agradável final de semana à beira da represa.

Saiba mais

Área: 322 km²
População: 16.414 habitantes
Quem nasce em Jundiaí é: nazareano
Principais atividades econômicas: turismo e agricultura
Data de aniversário da cidade: 21 de novembro

Prefeito: Murilo Pinheiro (PSDB)
Vice: Fernando Buava (PTB)
Presidente da Câmara: Luiz Carlos Sensineli (PP)

Topo
  • compartilhe:
  • Compartilhar