Campinas

> Eventos da Cidade
> veja todos os eventos

Campinas

Em meio à modernidade de suas construções e ao ritmo frenético de sua população, que já ultrapassou a marca de 1 milhão de habitantes, é a tradição que dá o tom entre as principais atrações turísticas de Campinas.

O grande símbolo de lazer da cidade e uma atração imperdível é a Lagoa do Taquaral, imenso parque construído em uma área nobre da cidade, que desde 1972 é utilizado para a prática de atividades físicas, de recreação ou passeios para toda a família.

O centenário Mercado Municipal, com belo projeto arquitetônico de Ramos de Azevedo, também é uma das atrações da cidade e lugar ideal para quem busca especiarias já incomuns nas grandes redes de hipermercados ou, simplesmente, um passeio nostálgico por um lugar que guarda histórias de uma Campinas que já não existe mais.

Outro veterano que se destaca é o Bosque dos Jequitibás, que está presente numa das áreas mais urbanizadas da cidade e se caracteriza como um verdadeiro refúgio da natureza em meio à selva de pedra. Com mais de 300 espécies animais e rica vegetação nativa, o Bosque abriga ainda o Museu de História Natural da cidade. Um programa para todo tipo de gosto.

Atrações turísticas

Parque Portugal - Lagoa do Taquaral

Endereço: Avenida Dr. Heitor Penteado, 1671 - Taquaral
Telefone: (19) 3256-9959

Um dos cartões postais de Campinas e principal área de lazer da cidade, o Parque Portugal, popularmente conhecido por "Lagoa do Taquaral", foi aberto ao público em 1972, ocupando uma área de 33 alqueires pertencente à histórica Fazenda Taquaral.

O público que diariamente frequenta o espaço tem à disposição uma série de espaços recreativos e culturais, a começar pela Lagoa, que oferece passeios de pedalinho e pesca esportiva aos finais de semana.

Já na extensa área verde que rodeia a lagoa, encontram-se bosques destinados a piquenique; viveiros de pássaros; área com aparelhos de ginástica; 2 playgrounds, lanchonete, sanitários e um percurso de 3 km de bondinhos (os mesmos que serviram Campinas até 1968).

Na área cultural, destacam-se a Concha Acústica - Auditório Beethoven (com capacidade para 2.000 pessoas); o Museu Dinâmico de Ciência; o Planetário; o relógio solar; o Centro de Vivência dos Idosos e a "Esplanada das Bandeiras" (praça destinada a eventos cívicos e culturais).

Entre os equipamentos esportivos, encontram-se o Ginásio de Esportes "Alberto Jordano Ribeiro" (com quadra de vôlei e basquete); o Balneário Municipal, com três piscinas; uma pista de cooper com extensão de 2.800 m; uma pista de aeromodelismo; uma ciclofaixa com 5 km de extensão; uma pista de patinação e 16 quadras poliesportivas.
 

Bosque dos Jequitibás

Endereço: Rua Coronel Quirino, 02 - Bosque
Telefone: (19) 3231-8795.

O Bosque dos Jequitibás é uma das maiores e mais antigas áreas de lazer de Campinas, visitada anualmente por aproximadamente 1 milhão de pessoas.

Adquirido pelo poder público municipal em 1915, este espaço já se constituía numa área de banhos e passeios. Hoje, o Bosque possui 10 hectares de reserva florestal nativa, com várias espécies de plantas cadastradas e um zoológico com 300 espécies de aves, répteis e mamíferos (como leões, tigres, lobo-guará, arara-azul, hipopótamo, pantera, onça pintada, entre outros).

O espaço também oferece uma pista de corrida, trenzinho, quiosques, lanchonetes e playground, a Casa do Caboclo (réplica em pau-a-pique de moradia rural), o Museu de História Natural, o Aquário Municipal e o Teatro Carlos Maia (especializado em teatro infantil).

Mercado Municipal

Endereço: Praça Carlos Botelho - Centro
Telefone: (19) 3232-3679
Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 7h às 18h30; e aos sábados, das 7h às 18h

Quer comprar aquele fumo de corda, ervas medicinais, um queijo fresco ou, quem sabe, aquele famoso "pó do amor"? Então, visite o centenário Mercado Municipal de Campinas.

Fundado em 12 de abril de 1908, o "Mercadão" é parte viva da história de Campinas e está instalado na região central, numa área que abrigava um entreposto onde o açúcar destinado ao porto de Santos era depositado.

Entre as décadas de 30 e 60, o "Mercadão" foi espaço onde intelectuais, políticos e jornalistas da cidade se encontravam para a discussão de grandes temas nacionais e do município.

Atualmente, o "Mercadão" é administrado pela Prefeitura de Campinas. O prédio é patrimônio histórico da cidade, conta com 7.720 m² de área e 143 boxes que oferecem os mais variados tipos de produtos e especiarias.
 

Torre do Castelo

Endereço: Praça 23 de outubro, s/nº - Jardim Chapadão
Agendamento para visitas: (19) 3735-5158 / 3735-5065 / 3735-5173
Horário de funcionamento: sábados e domingos, das 16h às 20h

O "Castelo d´água", inicialmente assim chamado, foi criado para abastecer os bairros que se formavam na região norte de Campinas. A torre de 27 metros de altura foi construída entre 1936 e 1940, com capacidade para 250 mil litros de água e com encanamentos de ferro fundido (importados da França) e seis janelas, de onde é possível ter uma visão em 360 graus da cidade.

O terreno escolhido para a construção foi a praça circular do Jardim Chapadão, de onde partia uma das avenidas centrais da nova cidade que estava sendo projetada no plano urbanístico de Prestes Maia, a Andrade Neves.

Atualmente, além de um interessante espaço de observação de toda a cidade, a Torre do Castelo abriga o Museu Histórico da Sanasa e um dos estúdios da Rádio Educativa de Campinas.
 

Parque Ecológico Emílio José Salim

Endereço: Rodovia Heitor Penteado, altura do km 3,2 - Vila Brandina
Telefone: (19) 3252-9988.

Área da antiga fazenda Mato Dentro, o Parque Ecológico foi criado com o objetivo de preservar e recuperar valores arquitetônicos e paisagísticos da região. Trata-se de uma área de 110 hectares e projeto paisagístico de Roberto Burle Marx, com espécies nativas da região da bacia do rio Piracicaba e algumas espécies exóticas, em especial as palmeiras.

Também abriga exemplares tombados e restaurados da arquitetura campineira do século XIX, entre eles, o Casarão, a tulha e a capela da antiga Fazenda Mato Dentro, espaços que integram um Museu Histórico Ambiental e o desenvolvimento de diversos programas de educação ambiental.

O Parque possui ainda sete quadras poliesportivas (equipadas com vestiários), campos de futebol soçaite, quadra de bocha e malha, trilhas para caminhadas, pista de cooper, playground, áreas para piquenique, anfiteatro, e dois estacionamentos com capacidade para mil carros.

Observatório Municipal Jean Nicolini

Endereço: Serra das Cabras, s/nº - Distrito de Joaquim Egídio
Horário de funcionamento: domingos, das 17h às 21h
Agendamento para visitas: (19) 3298-6566
Observação: o atendimento às escolas é realizado mediante prévio agendamento, de 2ª a 6ª, a partir das 16h

O Observatório Municipal de Campinas foi inaugurado em janeiro de 1977 e oferece um rico acervo de telescópios e lunetas ao público em geral e a estudantes de todos os níveis.

A partir de 1992, passou a homenagear Jean Nicolini (1922-1991), um grande entusiasta da divulgação da ciência astronômica no Brasil.

Principais acessos

As principais estradas de acesso a Campinas são:

Rodovia Dom Pedro I (SP-065)
Na pista norte (sentido Anhanguera): km 129, 134, 138 e 142
Na pista sul (sentido Jacareí): km 129, 135, 140 e 142

Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332)

Anel Viário José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083)

Rodovia Anhanguera (SP-330)

Rodovia Dr. Adhemar de Barros (SP-340)

Rodovia dos Bandeirantes (SP-348)

Rodovia Santos Dumont (SP-075)

Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP-101)

Histórico: Uma metrópole no interior do país

Campinas é hoje uma das cidades mais ricas e desenvolvidas do país, com população superior a 1 milhão de habitantes e destaque para seu moderno e inovador parque tecnológico. Uma história de grandeza que surpreenderia seus primeiros moradores.

A história da cidade começou na primeira metade do século XVIII, quando Campinas era então um pequeno bairro rural da Vila de Jundiaí.

Localizado às margens de uma trilha aberta pelos bandeirantes, entre 1721 e 1730 (trilha que seguia em direção às recém-descobertas minas dos Goiases), o povoamento do "Bairro Rural do Mato Grosso" teve início com a instalação de um pouso de tropeiros nas proximidades da "Estrada dos Goiases".

Erguido em meio a pequenos descampados, em uma região de mata fechada, o pouso das "Campinas do Mato Grosso" impulsionou o desenvolvimento de várias atividades de abastecimento e promoveu uma maior concentração populacional, reunindo-se neste bairro rural 185 pessoas no ano de 1767.

Nesse mesmo período, toda a região começava a experimentar uma nova dinâmica econômica, política e social, associada à chegada de fazendeiros procedentes de Itu, Porto Feliz e do Vale do Paraíba.

Estes fazendeiros buscavam terras para instalar lavouras de cana e engenhos de açúcar, utilizando-se para tanto de mão de obra escrava.

Por força e interesse desses fazendeiros, o bairro rural do Mato Grosso foi transformado em Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso (1774).

O crescimento contínuo do povoado elevou a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso à condição de Vila de São Carlos, em 1797. Novo ritmo de crescimento transformaria esta vila na cidade de Campinas, em 1842.

Desde então, o desenvolvimento da cidade foi sustentado pela riqueza das lavouras de café que, paralelamente, estimulou a chegada de novos e importantes serviços: indústrias, casas bancárias, de comércio e de serviços.

Outro marco na história de desenvolvimento da cidade foi a chegada dos trilhos ferroviários. Em 11 de agosto de 1872, a Companhia Paulista de Estradas de Ferro inaugurou a ligação ferroviária entre Campinas e Jundiaí.

A instalação da Paulista e a chegada de novos serviços exigiram um novo tipo de mão-de-obra, mais qualificada, para a cidade, que passou a receber grande número de imigrantes, principalmente alemães, ingleses e italianos.

A chegada dos novos serviços e dos imigrantes europeus à cidade passou a transformar, gradativamente, o cenário até então predominantemente agrícola de Campinas. Mas o café seguiria como carro-chefe no dia a dia da cidade até o final da a crise de 1929.

Somente após a Grande Depressão é que Campinas, definitivamente, tornou-se uma cidade em que a área urbana e as atividades comerciais e industriais se sobrepuseram às atividades do campo.

Um caminho sem volta para uma cidade que, rapidamente, se transformaria em protagonista no interior do país e ganharia destaque como um dos principais centros do país.

Saiba mais

Área: 887 km²
População: 1.053.252 habitantes
Quem nasce em Campinas é: campineiro
Principais atividades econômicas: indústria de alta tecnologia, comércio e serviços
Data de aniversário da cidade: 14 de julho

Prefeito: Jonas Donizette (PSB)
Vice-prefeito: Henrique Magalhães Teixeira (PSDB)
Presidente da Câmara: Rafa Zimbaldi (PP)
Topo
  • compartilhe:
  • Compartilhar